3 de dez de 2008

wasted time

Bloqueio estrutural, físico e psicológico.
Hora de cair, hora de levantar.
Aos olhos alheios uma, quando sozinho outra.
Opostos que machucam.
Raiva interna.
Gritos em silêncio.
Olhares que poderiam matar quem cruzasse a linha de visão.
Irritação excessiva e cansaço indescritíveis.
Esperar. Esperar. Esperar.
A vida passando diante os olhos.
Nada de imediato pode ser resolvido.
Que jogo de mau gosto esse que eu participo desde quando nasci.

24 de nov de 2008

- Alguém de nós podia dar uma de Jenny e aprender a costurar, assim não teria essa escassez de roupa que a gente tem. - Isabelle e Georgia andavam sem rumo pela rua após a primeira remessa das provas finais.
- É, só falta comprar uma máquina daí. - G. era o tipo de pessoa que quer fazer tudo, mas tem preguiça até de pensar em fazer tais coisas.
- A Sofia vive falando que vai comprar a máquina e aprender a costurar, mas nunca vi ela correndo atrás de nem um, nem outro. E se alguma aprendesse só o básico, seria que nem aprender a tocar violão: você aprende as notas e vai se virando e fazendo as coisas.
- É. Eu queria aprender a tocar violão. - Apontou G., imaginando como seria ela tocando um instrumento - provavelmente, um desastre.
- Eu também, meu. Mas a gente não tem tempo. - Concordou I.
- A gente tem tempo, mas não faz nada.
- Mas não fazer nada é tão bom.
- É, isso é.
- Ficar no computador sem fazer nada, dormindo, comendo, vendo TV... Não tem coisa melhor. - I. era a encarnação de preguiça e estado vegetativo. Não muito diferente de G. e S. - E a gente não quer ocupar o tempo fazendo essas coisas, porque daí não tem tempo de não fazer nada.
- Tipo, a gente tem tempo de fazer as coisas, mas não quer deixar de fazer nada pra ficar fazendo essas coisas, daí parece que a gente não tem tempo. Mas a gente tem.
- É, pra que deixar de fazer nada?
- É. - As duas se convenceram que entre fazer alguma coisa e não fazer, a segunda opção sempre vai melhor.
- Aonde a gente tá indo?

5 de nov de 2008

excessão

You don't know who or what you're praying to, but you pray. You don't even regret the life that you're not gonna have, because by then you'll be dead. And the dead don't feel anything. Not even regret - my life without me -

12 de out de 2008

i'm not a chance

Have you ever confused a dream with life? Or stolen something when you have the cash? Have you ever been blue? Or thought the train moving while sitting still? Maybe i was crazy. Maybe I was the 60's. Or maybe I was just a girl... Interrupted.

how to fight loneliness

she's all alone again
wiping the tears from her eyes
some days he feels like dying
she gets so sick of crying
she sees the mirror of herself
an image she wants to sell
to anyone willing to buy
green day

17 de set de 2008

i'm feeling this

turn all the lights down now
smiling from ear to ear
our breathing has got too loud
show me the bedroom floor
show me the bathroom mirror
we're taking this way too slow
take me away from here

11 de set de 2008

vazio

Gritar vontades, sonhos e tristezas
Teletransporte sem volta
Saudade telepática
Pensamento a mil
Medo a flor da pele
Cabeça literalmente explosiva
Olhar a laser, queimar indecisões
Querer voltar
Não poder querer

24 de ago de 2008

he never returned that call

O que você recebe das pessoas não é nada parecido com o que você espera delas. Negativa ou positivamente, os atos recebidos por qualquer um não passam nem perto do que imaginávamos ou queríamos que fossem. Pensar demais dificulta as coisas, e não pensar dificulta mais ainda. Vai entender.

Eu vou sair
Pra não te encontrar
São cinco e meia da manhã
Vanguart - Cachaça

23 de ago de 2008

se morrer é assim, eu quero morrer todos os dias

O demônio dentro de você só precisa de um pequeno empurrãozinho pra ser posto pra fora. Toda a sinceridade em seus atos estão prestes a ficar mais visíveis, interessantes e interrogadas por qualquer pessoa que saiba identificá-la. Momentos de fraqueza, raiva ou felicidade aguda o fazem se sentir confortável o suficiente pra sair de onde sempre esteve. Cuidado não seria a palavra exata, se a meta for evitá-lo. Só não o deixe exposto o suficiente para que você sinta vergonha ou desprezo por sua verdadeira essência, já que nada que sai de você é irreal. 'Eu queria que o mundo me visse do jeito que eu me vejo' disse, certa vez. 'E como você se vê?', retrucaram. Pergunta sem resposta, pelo menos nenhuma apresentável ou convincente. O negócio é deixar a vida mais doce, sendo você ou ela mesma proporcionando tal efeito.

20 de ago de 2008

toda a vez que toca o telefone eu penso que é você
toda a noite de insônia eu penso em te escrever
pra dizer que teu silêncio me agride
e não me agrada ser um calendário do ano passado
pra dizer que teu crime me cansa
e não compensa entrar na dança depois que a música parou

19 de ago de 2008

poucas palavras num silêncio total

'É inegável como a verdade pode ser brutal as vezes. Só dá pra admirá-la.
Geralmente passamos a vida acreditando em nós mesmos. "Eu tô bem", dizemos. "Tá tudo bem". Mas às vezes a verdade pega no pé e não tem santo que a faça desgrudar. É aí que percebemos que às vezes ela nem chega a ser uma resposta, mas sim uma pergunta. Mesmo agora, estou aqui pensando até que ponto minha vida é convincente.'

Eu Sou o Mensageiro
, página 270.

14 de ago de 2008

vidas depois

Ao entrar naquela sala quase que escura, habitada por duas lâmpadas que levavam uma luz suficiente para ver quem estava no mesmo cômodo e seus respectivos movimentos, um arrepio seguiu o contorno de minha espinha. 'Quem será que vai baixar aqui?' pensei, ingenuamente. O ritual começou. Os dois bancos da sala mediana eram localizados um de frente para o outro, encostando seus limites na parede pintada de branco. Apesar de se encontrarem quase cheios, o ritual não demorou muito. Mas foi o suficiente para passarem mil coisas inúteis a minha cabeça. A janela semi-aberta possibilitava que os pingos da chuva entrassem como trovões em meus ouvidos. Os raios eram fortes e, chega minha vez. Olhos fechados, coração batendo tão forte. Tão forte que aposto que qualquer um que estava ao meu lado conseguiu ouvi-lo. Outro arrepio percorre minha espinha, mas não um arrepio que se senti quando entrei lá. Muito menos aqueles que se sente quando alguém fala no ouvido ou passa a mão na nuca. O arrepio, dessa vez, foi aquele que nunca havia sentido antes. Apesar de não estar entendendo muito o que estava acontecendo e, confusa sobre o que havia na água que ofereceram-me para que ingerisse, tomei conta de que não precisam de explicações. Certos fatos ocorrem de acordo com a necessidade de cada espírito.
No momento que estava debaixo daquele teto, senti a segurança que poucas vezes esteve junto comigo lado a lado com minha face. Lado a lado com cada defeito, cada qualidade, cada ato e palavra, cada situação e pensamento que algum dia cruzaram meu caminho. Ao sair, senti tudo o que a noite proporcionou desaparecer em segundos. Senti que é melhor assim. De nada adianta demonstrar o que ocorre na minha cabeça se o teto que me acolhe não é digno de tanta sinceridade e honestidade.

4 de ago de 2008

sometimes goodbye's the only way

Enumerar novidades
Falar de sentimentos
Teletransportar momentos fotográficos
Descobrir razões existencialistas
Traçar planos de futuro
Lembrar noites alucinadas de verão
Vestir máscara robotizada
Chorar solidão radioativa
Gritar por lírios brancos
Cuspir palavras medrosas
Encarnar personagem nouvelle vague
Transmitir recados telegráficos
Sentir cheiros agradáveis
Enterrar páginas de diário
Ressussitar fantasmas pós-modernos
Rasgar cortinas transparentes
Matar insetos de paixão
Afogar peixes tristes
Furar olhos indiscretos
Enxugar lábios verborrágicos
Suar borboletas azuis
Perder o controle das emoções
Encontrar livros antigos perdidos
Revisitar florestas escuras
Parecer criança mimada
Comer chocolates amargos
Montar quebra-cabeça milenar
Traduzir contos egípcios
Digitar flashes íntimos
Devorar os próprios braços
Acender o último cigarro
Queimar a única chance
Evitar o encontro por acaso
Fugir antes que seja tarde
Dizer a pura verdade
Simular a eternidade das relações
Desprogramar o último ato
Eternizar a efemeridade das conveniências
Telegrafar lágrimas de sangue
Misturar chantily e desespero
Crer na hiperrealidade do veludo
Lamber os dedos cansados
Extraviar mensagens urgentes
Travestir você de alguém
Pedir um pouco de atenção
Esgotar toda paciência
Datilografar sinfonias cortantes
Acreditar no calendário
Detectar crueldades passivas
Delimitar a altura do muro
Ensaiar frases de efeito
Lamentar o som monocórdio
Reduzir o sentimento de culpa
Enxergar além do desejo
Determinar o sim e o não
Explodir de curiosidade
Roer todos os complexos
Exigir ação e reação
Decodificar segredos latentes
Entender que precisamos de fatos

(NoPorn - Sonia)

2 de ago de 2008

all I can do is be me whoever that is


Seven simple rules of going into hiding: one, never trust a cop in a raincoat. Two, beware of enthusiasm and of love, both are temporary and quick to sway. Three, if asked if you care about the world's problems, look deep into the eyes of he who asks, he will never ask you again. Four, never give your real name. Five, if ever asked to look at yourself, don't. Six, never do anything the person standing in front of you cannot understand. And finlly seven, never create anything, it will be misinterpreted, it will chain you and follow you for the rest of your life.

10 de jul de 2008

feliz dia do encalhado!

Dia dos Namorados, Aniversário de Casamento, Aniversário de Namoro, e demais feriados comemorados entre casais são, pra não dizer outra coisa, patéticos. Já falei sobre isso no texto sobre 'Dia dos Namorados', mas, aprofundando-se sobre o assunto, porque não existem feriados para os solteiros e encalhados, seja por opção ou azar do destino, comemorarem isso? Um compromisso tanto pode ser muito bom quanto pode ser horrível.
Um feriado comemorando a solidão seria ótimo, até porque poderiam ser realizadas festas ou encontros propositais, para os solteiros por azar encontrarem com alguém interessante... Delírios a parte e voltando ao propósito, não seria nada mal. Só existem feriados de comemorações, já perceberam? Dia das mães, dos pais, da criança, do caralho a quatro. Não é porque o mundo conspira em busca da felicidade que todos são assim. Um feriado pessimista pode acabar bem melhor do que qualquer comemoração.
Sem contar que, mais uma vez falando isso, as lojas agradecem pelos cartões industriais produzidos e vendidos, arrebatando somente o lucro destas datas. Nada mais nada menos, porque, na verdade, na verdaaaade.. Ninguém se importa. Eu não me importo, você não se importa, as indústrias de cartões não se importam. Feriado programado é o pior tipo, até porque ninguém nunca se atreveu em fazer e acreditar no seu próprio.
Feliz dia do Solteiro pra mim então. E pra você também.

27 de jun de 2008

Is it just me, is this the same dream?


she's wrapped up with a smile from a well placed kiss.
because she loves you and she always did
oh, what a dream but that's just all it is.
there she is, mumm-ra

Tô me sentindo como se minha vida tivesse parado, como se não houvesse nem o antes e nem o depois, simplesmente o agora. Parece que estou com esse sentimento por anos, sem nenhuma mudança - seja ela progressiva ou não. Muitas coisas acontecem do jeito que deveriam não acontecer. Você sabe como agir e se portar nas várias situações desagradáveis vividas, porém não sabe o que está por vir, consequentemente não sabendo - também - como agir. A vida é realmente estranha, pelo simples fato de inúmeras hipóteses ao seu respeito. Talvez essa leitura seja o fruto da imaginação de alguém, que por alguma razão, monitora e faz o que bem entender da vida e destino de cada um. Ou talvez todos usem essas hipóteses como forma de escaparem e não adimitirem o quão são responsáveis pela sua própria vida, principalmente de seus atos. Talvez eu tenha escrito isso para tentar diminuir qualquer culpa ou responsabilídade por quaisquer ato ou situação ocorrida. Milhares de 'talvez' existem, porém o único, todos irão descobrir quando sumirem daqui ou de qualquer lugar proveniente do denominado 'mundo'.

19 de jun de 2008

9 de jun de 2008





just tune in, turn off, drop out, drop in, switch off, switch on, and explode.

em termos literários, 'explodir' não chega nem perto do que está prester a acontecer comigo. cansei de continuar me decepcionando, de menções inválidas, que primeiramente eram consideradas o próximo passo. cansei de de me cansar, de sempre me irritar e chorar com a mesma pessoa, acreditando que pelo menos uma vez ela falará uma coisa que irá acontecer, e não planos impossiveis, somente para despertar a minha imaginação e preparação psicológica - tudo isso pra depois o mesmo vazio tomar conta, novamente. a coisa que eu mais quero, que eu MAIS QUERO MESMO, é sumir, é sair daqui, é não depender dos sonhos dos outros pra eu ficar do jeito que eu estou. emancipação é um grande passo, mas, em termos reais, é impossível na minha vida :) muitos que me vêem 'reclamando' assim, falam que estou reclamando de barriga cheia. o pior engano relacionando-se a mim que eu já ousei ouvir.



liberdade é uma das únicas coisas que o ser humano sempre está buscando, porém ela nunca é concebida.

6 de jun de 2008

[28/05]

Internet, escrever, comprar , viajar, sair, sumir, conhecer gente nova, possibilitar-me, esquecer da sua existência, ficar sozinha, ir pra alguma cidade grande ALL BY MYSELF, emagrecer 10kg (he-he), estudar, estudar, estudar, ler, relaxar, esquecer de TUDO, ver filmes, chorar, sorrir, comer, beber, fumar, andar, ir ao shopping, fazer comida, ir ao mercado, ver meus irmãos, rezar, sonhar, discutir, conversar, brigar, limpar, pensar, falar, ouvir música, mudar o cabelo, sair tomar um sorvete, passar a tarde sozinha na rua, ir pra casa de alguma amiga, ficar com alguém, telefonar, tomar o banho mais demorado da minha vida, fazer transparecer quem eu realmente sou, dançar, aproveitar, namorar, comprar presentes surpresa para todos que importam, ser feliz, ajudar alguém, ir ao cinema, comer sem medo de engordar, ir pra lugares que me lembrem coisas boas, ir ao cemitério, sair na chuva, comprar um cachorro, andar de metrô, sorrir para um desconhecido. Aproveitar.

5 de mai de 2008

rascunho salvo no dia 05/05/08

PAIXÃO, s.f. sentimento excessivo; afeto violento; amor ardente; entusiasmo; grande mágoa; cólera; objeto de afeição intensa; parcialidade; sofrimento prolongado; o martírio de Cristo. pai.xão

ILUSÃO,
s.f. engano dos sentimentos ou inteligência; coisa efêmera; sonho. i.lu.são

dois sentimentos tão iguais e tão diferentes. pra falar bem a verdade, está quase impossível distinguí-los, já que um se aproxima tanto do outro.


27 de abr de 2008


j 'do you hate me?'
m 'not yet'

my bucket list
• ir pra londres
• morar em são paulo
• me formar em jornalismo
• assistir todos os filmes existentes
• ter todos os cd's de todas as bandas que eu gosto
• fugir
• ver/chegar perto/conhecer adam brody (he-he)
• montar uma biblioteca/videoteca (em casa)

ps: com certeza os itens citados são os mais importantes, o que não quer dizer que sejam os únicos. e a ordem não interfere na importância.

17 de abr de 2008

O Diário de Bridget Jones. Até ontem, por incrível que pareça, nunca tinha me tocado em assistir o filme, quando passava na TNT. Fui na livraria, e a primeira coisa que vi foi essa livro. Existem coisas que aparecem repentinamente mas têm uma ajuda enorme. Por exemplo? Descobri que eu não sou a única :) Exatamente, você nao precisa entender o que eu quero dizer! Tava com saudade de escrever aqui.

Sábado, 29 de Abril
12 unidades alcoólicas, 57 cigarros, 8.489 calorias (excelente).

Vinte e duas horas, quatro pizzas, um prato de comida indiana para viagem, três maços de cigarros e três garrafas de champanhe (...)


meu lado B.

7 de abr de 2008

'o medo do tempo que passa nos faz falar do tempo que faz'

28 de mar de 2008


se todas as fotos fossem devidamente interpretadas, as histórias não se resumiriam a livros. só isso que eu tenho pra dizer numa sexta-feira, às 01h29 da manhã, onde eu tenho que acordar às 07h30. boa noite.

20 de mar de 2008

first one!

primeiro texto de blog a gente acha que tem que ser algo especial ou muito bem escrito. dizem que primeira impressão é aquela que fica. acho que não, já que milhares de coisas mudam com o tempo. e também não faço questão de fazer meu melhor texto agora, porque mesmo se eu quizesse, meu futuro melhor texto não seria esse. aliás, um blog com um conteúdo totalmente pessoal não precisa de textos 'perfeitos', certo? finalmente um lugar onde meus pensamentos não sofrerão nenhum tipo de restrição.