24 de ago de 2008

he never returned that call

O que você recebe das pessoas não é nada parecido com o que você espera delas. Negativa ou positivamente, os atos recebidos por qualquer um não passam nem perto do que imaginávamos ou queríamos que fossem. Pensar demais dificulta as coisas, e não pensar dificulta mais ainda. Vai entender.

Eu vou sair
Pra não te encontrar
São cinco e meia da manhã
Vanguart - Cachaça

23 de ago de 2008

se morrer é assim, eu quero morrer todos os dias

O demônio dentro de você só precisa de um pequeno empurrãozinho pra ser posto pra fora. Toda a sinceridade em seus atos estão prestes a ficar mais visíveis, interessantes e interrogadas por qualquer pessoa que saiba identificá-la. Momentos de fraqueza, raiva ou felicidade aguda o fazem se sentir confortável o suficiente pra sair de onde sempre esteve. Cuidado não seria a palavra exata, se a meta for evitá-lo. Só não o deixe exposto o suficiente para que você sinta vergonha ou desprezo por sua verdadeira essência, já que nada que sai de você é irreal. 'Eu queria que o mundo me visse do jeito que eu me vejo' disse, certa vez. 'E como você se vê?', retrucaram. Pergunta sem resposta, pelo menos nenhuma apresentável ou convincente. O negócio é deixar a vida mais doce, sendo você ou ela mesma proporcionando tal efeito.

20 de ago de 2008

toda a vez que toca o telefone eu penso que é você
toda a noite de insônia eu penso em te escrever
pra dizer que teu silêncio me agride
e não me agrada ser um calendário do ano passado
pra dizer que teu crime me cansa
e não compensa entrar na dança depois que a música parou

19 de ago de 2008

poucas palavras num silêncio total

'É inegável como a verdade pode ser brutal as vezes. Só dá pra admirá-la.
Geralmente passamos a vida acreditando em nós mesmos. "Eu tô bem", dizemos. "Tá tudo bem". Mas às vezes a verdade pega no pé e não tem santo que a faça desgrudar. É aí que percebemos que às vezes ela nem chega a ser uma resposta, mas sim uma pergunta. Mesmo agora, estou aqui pensando até que ponto minha vida é convincente.'

Eu Sou o Mensageiro
, página 270.

14 de ago de 2008

vidas depois

Ao entrar naquela sala quase que escura, habitada por duas lâmpadas que levavam uma luz suficiente para ver quem estava no mesmo cômodo e seus respectivos movimentos, um arrepio seguiu o contorno de minha espinha. 'Quem será que vai baixar aqui?' pensei, ingenuamente. O ritual começou. Os dois bancos da sala mediana eram localizados um de frente para o outro, encostando seus limites na parede pintada de branco. Apesar de se encontrarem quase cheios, o ritual não demorou muito. Mas foi o suficiente para passarem mil coisas inúteis a minha cabeça. A janela semi-aberta possibilitava que os pingos da chuva entrassem como trovões em meus ouvidos. Os raios eram fortes e, chega minha vez. Olhos fechados, coração batendo tão forte. Tão forte que aposto que qualquer um que estava ao meu lado conseguiu ouvi-lo. Outro arrepio percorre minha espinha, mas não um arrepio que se senti quando entrei lá. Muito menos aqueles que se sente quando alguém fala no ouvido ou passa a mão na nuca. O arrepio, dessa vez, foi aquele que nunca havia sentido antes. Apesar de não estar entendendo muito o que estava acontecendo e, confusa sobre o que havia na água que ofereceram-me para que ingerisse, tomei conta de que não precisam de explicações. Certos fatos ocorrem de acordo com a necessidade de cada espírito.
No momento que estava debaixo daquele teto, senti a segurança que poucas vezes esteve junto comigo lado a lado com minha face. Lado a lado com cada defeito, cada qualidade, cada ato e palavra, cada situação e pensamento que algum dia cruzaram meu caminho. Ao sair, senti tudo o que a noite proporcionou desaparecer em segundos. Senti que é melhor assim. De nada adianta demonstrar o que ocorre na minha cabeça se o teto que me acolhe não é digno de tanta sinceridade e honestidade.

4 de ago de 2008

sometimes goodbye's the only way

Enumerar novidades
Falar de sentimentos
Teletransportar momentos fotográficos
Descobrir razões existencialistas
Traçar planos de futuro
Lembrar noites alucinadas de verão
Vestir máscara robotizada
Chorar solidão radioativa
Gritar por lírios brancos
Cuspir palavras medrosas
Encarnar personagem nouvelle vague
Transmitir recados telegráficos
Sentir cheiros agradáveis
Enterrar páginas de diário
Ressussitar fantasmas pós-modernos
Rasgar cortinas transparentes
Matar insetos de paixão
Afogar peixes tristes
Furar olhos indiscretos
Enxugar lábios verborrágicos
Suar borboletas azuis
Perder o controle das emoções
Encontrar livros antigos perdidos
Revisitar florestas escuras
Parecer criança mimada
Comer chocolates amargos
Montar quebra-cabeça milenar
Traduzir contos egípcios
Digitar flashes íntimos
Devorar os próprios braços
Acender o último cigarro
Queimar a única chance
Evitar o encontro por acaso
Fugir antes que seja tarde
Dizer a pura verdade
Simular a eternidade das relações
Desprogramar o último ato
Eternizar a efemeridade das conveniências
Telegrafar lágrimas de sangue
Misturar chantily e desespero
Crer na hiperrealidade do veludo
Lamber os dedos cansados
Extraviar mensagens urgentes
Travestir você de alguém
Pedir um pouco de atenção
Esgotar toda paciência
Datilografar sinfonias cortantes
Acreditar no calendário
Detectar crueldades passivas
Delimitar a altura do muro
Ensaiar frases de efeito
Lamentar o som monocórdio
Reduzir o sentimento de culpa
Enxergar além do desejo
Determinar o sim e o não
Explodir de curiosidade
Roer todos os complexos
Exigir ação e reação
Decodificar segredos latentes
Entender que precisamos de fatos

(NoPorn - Sonia)

2 de ago de 2008

all I can do is be me whoever that is


Seven simple rules of going into hiding: one, never trust a cop in a raincoat. Two, beware of enthusiasm and of love, both are temporary and quick to sway. Three, if asked if you care about the world's problems, look deep into the eyes of he who asks, he will never ask you again. Four, never give your real name. Five, if ever asked to look at yourself, don't. Six, never do anything the person standing in front of you cannot understand. And finlly seven, never create anything, it will be misinterpreted, it will chain you and follow you for the rest of your life.