23 de ago de 2008

se morrer é assim, eu quero morrer todos os dias

O demônio dentro de você só precisa de um pequeno empurrãozinho pra ser posto pra fora. Toda a sinceridade em seus atos estão prestes a ficar mais visíveis, interessantes e interrogadas por qualquer pessoa que saiba identificá-la. Momentos de fraqueza, raiva ou felicidade aguda o fazem se sentir confortável o suficiente pra sair de onde sempre esteve. Cuidado não seria a palavra exata, se a meta for evitá-lo. Só não o deixe exposto o suficiente para que você sinta vergonha ou desprezo por sua verdadeira essência, já que nada que sai de você é irreal. 'Eu queria que o mundo me visse do jeito que eu me vejo' disse, certa vez. 'E como você se vê?', retrucaram. Pergunta sem resposta, pelo menos nenhuma apresentável ou convincente. O negócio é deixar a vida mais doce, sendo você ou ela mesma proporcionando tal efeito.

Nenhum comentário: