24 de nov de 2008

- Alguém de nós podia dar uma de Jenny e aprender a costurar, assim não teria essa escassez de roupa que a gente tem. - Isabelle e Georgia andavam sem rumo pela rua após a primeira remessa das provas finais.
- É, só falta comprar uma máquina daí. - G. era o tipo de pessoa que quer fazer tudo, mas tem preguiça até de pensar em fazer tais coisas.
- A Sofia vive falando que vai comprar a máquina e aprender a costurar, mas nunca vi ela correndo atrás de nem um, nem outro. E se alguma aprendesse só o básico, seria que nem aprender a tocar violão: você aprende as notas e vai se virando e fazendo as coisas.
- É. Eu queria aprender a tocar violão. - Apontou G., imaginando como seria ela tocando um instrumento - provavelmente, um desastre.
- Eu também, meu. Mas a gente não tem tempo. - Concordou I.
- A gente tem tempo, mas não faz nada.
- Mas não fazer nada é tão bom.
- É, isso é.
- Ficar no computador sem fazer nada, dormindo, comendo, vendo TV... Não tem coisa melhor. - I. era a encarnação de preguiça e estado vegetativo. Não muito diferente de G. e S. - E a gente não quer ocupar o tempo fazendo essas coisas, porque daí não tem tempo de não fazer nada.
- Tipo, a gente tem tempo de fazer as coisas, mas não quer deixar de fazer nada pra ficar fazendo essas coisas, daí parece que a gente não tem tempo. Mas a gente tem.
- É, pra que deixar de fazer nada?
- É. - As duas se convenceram que entre fazer alguma coisa e não fazer, a segunda opção sempre vai melhor.
- Aonde a gente tá indo?

Um comentário:

f/I disse...

fico MARA