13 de fev de 2009

carta aberda à quem interessa

A definição de erro se define variadamente de acordo com cada pessoa e situação. Porém, isso nem sempre é a melhor coisa diante a certos fatos. De nada adianta saber que meu erro é justificado sendo que a pessoa mais importante a concordar comigo é justamente a que mais discorda e julga-me por isso. Claro que eu errei, mas eu tenho minhas justificativas. Já você, apesar de não ter feito nada que seja comparado com o que aconteceu, continua errando. Mas com você mesmo. O que você possivelmente anda fazendo, sabendo que é ruim, pelo simples prazer da discórdia, só interfere em você. Só vai fazer diferença pra você, na sua vida. Claro que eu continuo não gostando. Mas quem vai acabar se fudendo é você mesmo, o que eu posso fazer? Apesar de você não querer, ou não admitir que quer - o que eu particularmente acredito, ou pelo menos é nisso em que quero acreditar -, eu não vou poder te ajudar. Por mais que eu queira, por mais que eu deva. Fui eu mesma que prometi que sairia da sua vida pra nunca mais voltar, não foi? E, por mais que me doa fazer isso, é exatamente o que eu vou fazer. Eu só espero que, algum dia, você esteja numa situação igual ou parecida a minha. Daí, apesar do quão tarde será, eu iria gostar muito que você me ligasse, marcasse da gente fazer alguma coisa. Pra você ver que primeiro, acontece com qualquer um, até mesmo você, veja bem; e segundo, quem sabe a gente não se acertaria? Eu acho quase impossível, porque até isso eu teria me desgastado tanto em inúmeras tentativas sem respostas. Eu não sei, você não sabe, ninguém sabe. E até alguma coisa positiva acontecer, é assim que a gente vai ficar. Eu pelos cantos fingindo cansaço e você se culpando e me odiando. É, quem diria que um dia a gente chegaria a esse ponto.

Um comentário:

ARCANO disse...

Voce escreve mt bem.