29 de ago de 2009

Com Qualquer Dois Mil Réis


Você é incapaz de matar uma muriçoca
Mas como tem capacidade de mexer meu coração

12 de ago de 2009

Errei pela primeira vez quando me pediu a palavra amor, e eu neguei. Mentindo e blefando no jogo de não conceder poderes excessivos, quando o único jogo acertado seria não jogar: neguei e errei. Todo atento para não errar, errava cada vez mais.

em Pequenas Epifanias
de CAIO FERNANDO ABREU

9 de ago de 2009

Banalidades cotidianas

Os pequenos absurdos, a capacidade de rir a toa, um ridículo desejo de ser útil e essa mania de comprometer-se sem necessidade. Vinicius de Moraes

1 de ago de 2009

Gertrudes pede um conselho.

'De fato, nos últimos tempos, Tuda não passava nada bem. Ora sentia uma inquietação sem nome, ora uma calma exagerada e repentina. Tinha freqüentemente vontade de chorar, e o que em geral se reduzia à vontade apenas, como se a crise se completasse no desejo. Uns dias, cheia de tédio, enervada e triste. Outros, lânguida como uma gata, embriagando-se com os menores acontecimentos. Uma folha caindo, um grito de criança, e pensava: mais um momento e não suportarei tanta felicidade. E realmente não a suportava, embora não soubesse propriamente em que consistia a felicidade. Caía num choro abafado, aliviando-se, com a impressão confusa de que se entregava, a não sei quem e não sei de que forma.' Clarice Lispector

rascunho salvo no dia 24/11/08 (com algumas modificações)

- ... mas essa música que estourou a banda mesmo, é muuito boa.
I. e G. novamente andando na rua. Não que fosse uma coisa que ambas gostassem de fazer, mas não tinha outra opção. Acabaram de ir na padaria mais próxima pra comprar-qualquer-coisa pra comer, já que na casa de S. não eram muitas as opções.
- Verdade. - Concordou G., acompanhando I. quando começou a cantar 'Misery Business'.
Estavam passando em frente de lugar que pintava carros - ou algo parecido - quando iriam começar o refrão.
- OOOHH.. cof cof cof cof cof - as duas começaram a tussir quando o possível líquido que o cara do lugar-que-pintava-carros estava espirrando em um automóvel.
Depois do ataque de tosse seguido do ataque de riso, e de vários olhares curiosos e com um riso reprimido, vindos do próprio lugar-que-pintava-carros, as duas faziam seu caminho de volta calmamente, com alguns risos ainda, e falando qualquer coisa engraçada ou divertida. Mal sabia G., além de todas (incluindo I., S., e C.), que estava exatamente no lugar aonde devia estar, naquele e em vários outros momentos aonde estava na companhia de alguma delas. Mal sabia ela que, apesar de tudo, iria querer repetir tudo exatamente do jeito que aconteceu. Mal sabia ela, que tanto reclamava, que estava sendo completamente feliz - e sequer fazia ciência disso.