10 de dez de 2009

ali, aqui, acolá

Hoje, conversando com a T., coloquei meu cérebro pra funcionar depois que disse uma coisa sem pensar. Estávamos falando sobre assuntos que não precisam ser especificados, quando solto: 'Tem sim, mas está longe de você, sonhando contigo todas as noites. Só que você não é você, é um vulto preto, porque ele não (re)conhece a sua cara.'. Essa pseudo-teoria me fez parar pra pensar durante uns bons minutos.
Por mais que falei a primeira coisa que me veio em mente e nunca tinha parado pra pensar sobre isso, eu acredito no que disse. Acredito que, em algum lugar do mundo, exista alguém sonhando com a personalidade, jeito, gostos e características da T., por exemplo. A pessoa dos sonhos é real. Ela existe, em algum lugar do mundo. E a T., ao encontrar ela, pode não se deparar com o dream-boy que ela idealizou, certamente. Mas alguma coisa nele vai chamar a atenção dela - tirando o fato dela ser tudo o que um dia ele aspirou - e ele, consequentemente, vai se tornar quem ela quer - ao menos na percepção dela. E a mesma coisa acontecerá com o menino-dos-sonhos dela, quando ela se deparar com ele. Não existe apenas uma pessoa exata para T., pra mim ou pra você. Temos duas, três, quatro, mil, seilá. É incabível essa história de 'alma gêmea', 'metade da laranja', ou que for. Há pessoas que servem ou não servem pra você. E pode até ser que alguma delas já tenha passado pela sua vida, sem a sua percepção. Mas isso é assunto pra outro texto.

'Robin é melhor que a garota dos meus sonhos. Ela é real.' Paul, 500 Days of Summer.

(Dedicado, obviamente, á T. <3)

Um comentário:

. disse...

Yep, vou dormir com as luzes acesas e


N



ps: A verificação de palavras é herharr... Sinais.