30 de mar de 2010

O Contrato

Combinamos que não era amor. Escapou ali um abraço no meio do escuro. Mas aquilo ali foi sono, não sei o que foi aquilo. Foi a inércia do amor que está no ar mas não necessariamente dentro de nós. A gente foi ao cinema, coisa que namorados fazem. Mas amigos fazem também, não? Somos amigos. Escapou ali um beijo na orelha e uma mão que quis esquentar a outra. Mas a gente correu pra fazer piadinha sexual disso, como sempre. E a orelha ouviu uma sacanagem qualquer, e a mão se encaixou ali no meio das minhas pernas. Você me chamou de amor ontem, enquanto a gente transava. Eu quis chorar. Mas também quis rir muito da sua cara. Acabei só esquecendo isso. Talvez o “mô” que você murmurou, seja porque no dia anterior, naquela mesma cama, você tenha comido alguma “Mônica”. Prefiro pensar assim. Se eu for muito, mas muito escrota, talvez eu me proteja de me assustar muito. Caso você seja escroto, eu sendo de pedra não quebro com a sua pedra. Sei lá. Aí teve aquela cena também. De quando eu fui te dar tchau só com a manta branca e o cabelo todo bagunçado. E você olhou do elevador e me perguntou: não to esquecendo nada? E eu quis gritar: tá, tá esquecendo de mim. E você depois perguntou: não tem nada meu aí? E eu quis gritar: tem, tem eu. Eu sempre fui sua. Eu já era sua antes mesmo de saber que você um dia não ia me querer. Mas a gente combinou que não era amor. Você abriu minha água com gás predileta e meu sabonete de manteiga de cacau. E fuçou todas as minhas gavetas enquanto eu tomava banho. E cheirou meu travesseiro pra saber se ainda tinha seu cheiro. Ou pra tentar lembrar meu cheiro e ver se ele ainda te deixa sem vontade de ir embora. Mas ainda assim, não somos íntimos. Nada disso. Só estamos aqui, reunidos nesse momento, porque temos duas coisas muito simples em comum: nada melhor pra fazer e vontade de fazer sexo. Só isso. É o que está no contrato. E eu assino embaixo. Melhor assim. Muito melhor assim. Tô super bem com tudo isso. Nossa, nunca estive melhor. Mas não faz isso. Não me olha assim e diz que vai refazer o contrato. Não faz o mundo inteiro brilhar mais porque você é bobo. Não faz o mundo inteiro ficar pequeno só porque o seu chapéu é muito legal. Não deixa eu assim, deslizando pelas paredes do chuveiro de tanto rir porque seu cabelo fica ridículo molhado. Não faz a piada do vampiro só porque você achou que eu estava em dias estranhos. Não transforma assim o mundo em um lugar mais fácil e melhor de se viver. Não faz eu ser assim tão absurdamente feliz só porque eu tenho certeza absoluta que nenhum segundo ao seu lado é por acaso. Combinamos que não era amor e realmente não é. Mas esse algo que é, é realmente muito libertador. Porque quando você está aqui, ou até mesmo na sua ausência, o resto todo vira uma grande comédia. E aquele cara mais novo, e aquele outro mais velho, e aquele outro que escreve, e aquele outro que faz filme, e aquele outro divertido, e aquele outro da festa, e aquele outro amigo daquele outro. E todos aqueles outros viram formiguinhas de nariz vermelho. E eu tenho vontade de ligar pra todos eles e falar: putz, cara, e você acha mesmo que eu gostei de você? Coitado. Adoro como o mundo fica coitado, fica quase, fica de mentira, quando não é você. Porque esses coitados todos só serviram pra me lembrar o quão sagrado é não querer tomar banho depois. O quão sagrado é ser absurdamente feliz mesmo sabendo a dor que vem depois. O quão sagrado é ver pureza em tudo o que você faz, ainda que você faça tudo sendo um grande safado. O quão sagrado é abrir mão de evoluir só porque andar pra trás é poder cruzar com você de novo. Não é amor não. É mais que isso, é mais que amor. Porque pra te amar mais, eu tenho que te amar menos. Porque pra morrer de amor por você, eu tive que não morrer. Porque pra ter você por perto um pouco, eu tive que não querer mais ter você por perto pra sempre. E eu soquei meu coração até ele diminuir. Só pra você nunca se assustar com o tamanho. E eu tive que me fantasiar de puta, só pra ter você aqui dentro sem medo. Medo de destruir mais uma vez esse amor tão santo, tão virgem. E eu vou continuar me fantasiando de não amor, só pra você poder me vestir e sair por aí com sua casca de não amor. E eu vou rir quando você me contar das suas meninas, e eu vou continuar dizendo “bonito carro, boa balada, boa idéia, bonita cor, bonito sapato”. E eu vou continuar sendo só daqui pra fora. Porque no nosso contrato, tomamos cuidado em escrever com letras maiúsculas: não existe ninguém aqui dentro. Mas quando, de vez em quando, o seu ninguém colocar ali, meio sem querer, a mão no meu joelho, só para me enganar que você é meu dono. Só para enganar o cara da mesa ao lado que você é meu dono. Eu vou deixar. Vai que um dia você acredita.

Tati Bernardi.

passado, presente e futuro

 

símbolo com várias interpretações - aliás, conciliáveis: luz, trevas e tempo; passado, presente e futuro; sabedoria, força e beleza; nascimento, vida e morte; liberdade, igualdade e fraternidade. é também a força do etéreo* quando o vértice está para cima.

*[etéreo] adjetivo masc singular - (sinônimos: sublime, puro, elevado).

ps: minha próxima tatuagem.

27 de mar de 2010

requiem for anna, portishead

a day like any other
where i am all alone
why anna, anna
are you all alone by yourself
are you all alone by yourself
a day like any other
he'd come to meet me
i love you anna, anna
today everything will change
today everything will change

26 de mar de 2010

ou o que for

Com tantos sentimentos arrumados
cuidadosamente na prateleira de cima,
tinha de ser justo amor, meu Deus?
Porque quando fecho os olhos, é você quem eu vejo;
aos lados, em cima, embaixo, por fora e por dentro de mim.
Dilacerando felicidades de mentira,
desconstruindo tudo o que planejei,
Abrindo todas as janelas para um mundo deserto.
É você quem sorri, morde o lábio, fala grosso, conta histórias,
me tira do sério, faz ares de palhaço, pinta segredos,
ilumina o corredor por onde passo todos os dias.
É agora que quero dividir maçãs, achar o fim do arco-íris,
pisar sobre estrelas e acordar serena.
É para já que preciso contar as descobertas, alisar seu peito,
preparar uma massa, sentir seus cílios.
“Claro, o dia de amanhã cuidará do dia de amanhã
e tudo chegará no tempo exato. Mas e o dia de hoje?”
Não quero saber de medo, paciência, tempo que vai chegar.
Não negue, apareça. Seja forte.
Porque é preciso coragem para se arriscar num futuro incerto.

/ daqui

Caio Fernando Abreu

Vai passar, tu sabes que vai passar. Talvez não amanhã, mas dentro de uma semana, um mês ou dois, quem sabe? O verão está aí, haverá sol quase todos os dias, e sempre resta essa coisa chamada ‘impulso vital’. Pois esse impulso ás vezes cruel, porque não permite que nenhuma dor insista por muito tempo, te empurrará quem sabe para o sol, para o mar, para uma nova estrada qualquer e, de repente, no meio de uma frase ou de um movimento te surpreenderás pensando algo assim como ‘estou contente outra vez.

/ daqui

Triz

Quase consigo me animar com essa história, mas me animar ou gostar de alguém me lembra você. E fico triste novamente.
/ daqui

Ciúme não é ex.

Aquele abraço era o lado bom da vida, mas para valorizá-lo eu precisava viver. E que irônico: pra viver eu precisava perdê- lo.

/ daqui

23 de mar de 2010

morangos mofados

Ah, fumarás demais, beberás em excesso, aborrecerás todos os amigos com tuas histórias desesperadas, noites e noites a fio permanecerás insone, a fantasia desenfreada e o sexo em brasa, dormirás dias adentro, noites afora, faltarás ao trabalho, escreverás cartas que não serão nunca enviadas, consultarás búzios, números, cartas e astros, pensarás em fugas e suicídios em cada minuto de cada novo dia, chorarás desamparado atravessando madrugadas em tua cama vazia, não conseguirás sorrir nem caminhar alheio pelas ruas sem descobrires em algum jeito alheio o jeito exato dele, em algum cheiro estranho o cheiro preciso dele.

Caio F A

22 de mar de 2010

faz sentido

Later that night, I got to thinking about fathers, or the lack of them.
Some say a daughter’s relationship with her father is the model of all her subsequent relationships with men. Is that just pop psychology or is there some truth to it?
And if you were given a less than perfect model, does that mean a life of less than perfect relationships?
I couldn’t help but wonder: how much does a father-figure figure?

Carrie Bradshaw, Sex and The City.

17 de mar de 2010

Olha, eu quero te dizer quê,

Olha, eu sei que as coisas tão estranhas agora e que nem eu nem você sabemos como nos portar diante disso. Mas sabe, eu acredito que seja melhor assim, entende? Não, claro que não, claro que se fosse uma questão de opção eu queria que fosse como antes, seria mais fácil e menos doloroso, você não concorda? Mas o que eu quero dizer é que se a gente viver distintamente, sem depender tanto um do outro, quem sabe a gente consiga lidar com isso, entende? Sim, eu sei que corremos o risco de sair de sintonia, passar a querer outras coisas, mas na verdade é isso o que devemos fazer. Não sei, você sabe o quanto e como eu te amo e como nem eu mesma sabia que seria possível gostar de alguém assim - já te falei mil vezes. Mas não quero te prender e impedir que você faça e sinta e viva as coisas do seu jeito por medo de me decepcionar, sempre pensando em mim, consegue me entender? Não é fácil e eu nunca disse que seria, mas desde o começo nós sabíamos do final, não? Não, não é o final, não foi isso o que quis dizer, você sabe que não, mas o final daquela fase onde tudo parecia possível. Eu sei que tudo o que a gente já planejou é possível, mas não agora. E com a chegada desse temido momento onde somos obrigados a seguir caminhos completamente distintos, as coisas não podem continuar como eram. Sabe, eu só preciso te dizer, e quem sabe repetir num dia que você estará desacreditando do mundo, que o que eu sinto não mudou e que eu sinto sua falta todo o santo dia, uma falta que sufoca, que aperta, que dilacera, e que eu tento esconder de mim mesma pra não me machucar, muito menos a você. Não, não fique triste, não ache que tudo o que já aconteceu será apagado e de agora em diante serei eu sem você e fim, isso não existe nas minhas capacidades físicas e mentais. Tudo está guardado numa caixinha, tipo essas de madeira, decoradas, que guardamos coisas as quais não queremos jogar fora de maneira alguma, e essa caixa, a de madeira, decorada, está no lugar mais escondido e mais bonito que eu encontrei dentro de mim, que é pra ninguém encostar nela, e ela ser meu refúgio em dias como esse. Só quero que você entenda que nada acabou, não, é só uma pausa, um ceder daqui pra receber mais tarde, entende? Pode demorar, não sei, mas não dá mais pra ficar fazendo planos, tudo sempre acontece ao contrário, já nos foi provado. Então o que eu realmente quero te fazer entender com isso tudo é que você está livre, não pense em mim, faça tudo o que você tiver para fazer aí que eu faço aqui, e sem planejamentos pro futuro, deixe ir fluindo que acontecerá, e quando nos dermos conta que estiver acontecendo, vai ser melhor que qualquer sonho que já tivemos, e tudo o que fizermos nesse intervalo em que estivermos nessa pausa, tempo, não sei, chame como quiser, vai contar para o resultado final, que vai chegar quando estivermos preparados o suficiente pra saber entender o que aconteceu e dispostos pra recomeçar de onde parou, do começo, do fim, não sei, quem é que sabe, e prontos pra fazer tudo de novo, sabendo que, com um ao lado do outro, tudo é aceitável e de imenso valor.

14 de mar de 2010

quando você não tem nada, não tem nada a perder

once upon a time you dressed so fine
you threw the bums a dime in your prime, didn't you?
people'd call, say, "beware doll, you're bound to fall"
you thought they were all kiddin' you
you used to laugh about
everybody that was hangin' out
now you don't talk so loud
now you don't seem so proud
about having to be scrounging for your next meal
(how does it feel
how does it feel
to be without a home
like a complete unknown
like a rolling stone?)
you've gone to the finest school all right, miss lonely
but you know you only used to get juiced in it
and nobody has ever taught you how to live on the street
and now you find out you're gonna have to get used to it
you said you'd never compromise
with the mystery tramp, but now you realize
he's not selling any alibis
as you stare into the vacuum of his eyes
and ask him do you want to make a deal?
(how does it feel
how does it feel
to be on your own
with no direction home
like a complete unknown
like a rolling stone?)
you never turned around to see the frowns on the jugglers and the clowns
when they all did tricks for you
you never understood that it ain't no good
you shouldn't let other people get your kicks for you
you used to ride on the chrome horse with your diplomat
who carried on his shoulder a Siamese cat
ain't it hard when you discover that
he really wasn't where it's at
after he took from you everything he could steal
(how does it feel
how does it feel
to be on your own
with no direction home
like a complete unknown
like a rolling stone?)
princess on the steeple and all the pretty people
they're drinkin', thinkin' that they got it made
exchanging all kinds of precious gifts and things
but you'd better lift your diamond ring, you'd better pawn it babe
you used to be so amused
at napoleon in rags and the language that he used
go to him now, he calls you, you can't refuse
when you got nothing, you got nothing to lose
you're invisible now, you got no secrets to conceal
(how does it feel
how does it feel
to be on your own
with no direction home
like a complete unknown
like a rolling stone?)

10 de mar de 2010

O Galinheiro na geladeira

É assim: vezenquando, uma coisa só começa mesmo a existir quando você também começa a prestar atenção na existência dela. Quando a gente começa a gostar duma pessoa, é bem assim.

8 de mar de 2010

Caio F A

Fiquei feliz em poder sentir tua falta, - a falta mostra o quão necessitamos de algo/alguém. É assim o nosso ciclo. Eu te preciso. Perto, longe, tanto faz. Preciso saber que tu está bem, se respira, se comeu ou tomou banho - com o calor que está fazendo neste verão, tome pelo menos uns três ao dia, e pense em mim, estou com calor também. Me faz bem pensar nessas atividades corriqueiras, que supostamente você está fazendo. Ah, e eu estou te esperando, com meu vestido curto, óculos escuros grandes e meu coração pulsando forte, e te abraçar até sentir o mundo girar apenas para nós. É, eu gosto muito de ti.

2 de mar de 2010

Segundo Fragmento

Meu penar parece despedaçar cada vez mais o pouco de decência que em mim existe - se é que. Nesse ponto, sonho e realidade, surreal e palpável, desatino e rotina parecem a mesma coisa. Nem com a presença duma única saída conseguiria fazer esse sangue parar de jorrar de cada poro que em mim existe.

Primeiro Fragmento

A necessidade do desconhecido para amenizar o sentimento de solidão. Sentimento? Não sei ao certo. Parece-me mais um agouro que toma minh'alma a ponto de me fazer querer ver o que nem mesmo conheço. Nem nos meus mais sujos desejos.