11 de jun de 2010

Desconexo

São quatro da manhã e eu ainda acredito no resultado de testes feitos pela internet. Engraçado como a força que ainda está me mantendo acordada mesmo estando quase caindo de sono não atua com a mesma intensidade quando estou desmoronando. Crise existencial-psicológica-física-estrutural-emocional devorando cada pedaço de otimismo que grita para não sumir. "Dia regular, acho que choveu. Gostaria de sentir os pingos da chuva como antes. Gostaria de sentir como antes.". Esse violão eu-vim-da-bahia-mas-um-dia-eu-volto-pra-lá - volto pra onde? Home is where the heart is, mas aonde está o coração? (Ele ainda está?) Vento gelado vindo dos vãos das portas e janelas, mesmo fechadas, trazendo de lá fora tudo o que tento trancar. Confusão confusão confusão confusão confusão quanto mais eu penso mais eu fico confusa isso já aconteceu com você? São quatro da manhã e não tiro o pensamento disso que nem sei se existe, existiu, existirá, aconteceu, sonhei, delirei, cuspi, montei, armei, firmei. E sinto.

Nenhum comentário: