26 de out de 2010

Anotações sobre um amor urbano

(...) sem entender, sem conseguir chorar, abandonado, apavorado, mastigando maldições, dúbios indícios, sinistros augúrios, e amanhã não desisto: te procuro em outro corpo, juro que um dia te encontro

Não temos culpa. Tentei. Tentamos.

Caio Fernando Abreu

Nenhum comentário: