10 de abr de 2013

cinza da noite

até quando: a fase, o caos, o desconforto, o desconexo, o quase, o nunca, a possibilidade, a enfermidade - a dor. quanto mais o tempo passa, mais o perco - e o sigo. na teimosia de tentar me encontrar, descubro ainda mais dúvida. nada-é-tão-ruim-que-não-possa-piorar: pode, pode muito, acaba sendo assim, querendo, desquerendo, tentando mudar ou não, revertendo a trajetória para ser diferente: é. eterno paradoxo entre solitude e solidão, confusa em saber aonde acaba o querer e aonde entra o ser. como é que se parece estar vivo?